A Alimentação sugerida

 

As sugestões sobre alimentação baseiam-se nos ensinamentos que se depreende dos livros sobre masculinidade. Deve, entretanto ser submetidos ao seu médico. A opinião do médico ou do nutricionista é de capital importância.

A filosofia espartana se baseia em ensinamentos retirados dos livros que os guerreiros nos deixaram. Isto é, um conjunto de estratégias militares que visam tornar o homem o mais forte possível e menos vulnerável. O que fazemos é aplicar essas estratégias ao que se come.

A preocupação com a alimentação entra aí como um elemento importante para fortalecer o corpo e evitar doenças. Estamos pressupondo que os alimentos têm esse poder. Parece que o poder de fazer mal algum deles têm. Carnes gordurosas, frituras, comidas enlatadas, alimentos acucarados ou muito artificiais tudo indica que podem ser prejudiciais.

Outra coisa importante é lembrarmos que o espartano segue o que a ciência diz. Entretanto o seu principal guia é a sua razão. O espartano é desconfiado de tudo que lhe dizem, mesmo que sejam dito pelos cientistas. Existem cientistas que são picaretas ou comprados por empresários produtores de alimentos e remédios. Portanto submete, ao crivo de sua inteligência, turbinada pela filosofia espartana, a ciência. A desconfiança de tudo é uma de suas armas. Mas o que queremos dizer com isso tudo é que a ciência é vista pelo espartano como um guia melhor do que muitas coisas que existem.

Assim sendo, só quem pode lhe passar uma dieta é o seu médico.

O que vamos aqui é sugerir hábitos alimentares e alimentos que devem ser consumidos depois de submetidos a apreciação do seu médico.

O homem é, em grande parte, um sistema de artérias. Artérias essas que entopem com gorduras. O nosso pênis depende dessas artérias para ficar rígido. A saúde do coração e do pênis dependem de não acumularmos gorduras nas artérias. Portanto não devemos comer alimentos que contenham colesterol e devemos caminhar muito.

O homem tem próstata e recomendam os médicos a ingestão diária de tomates, melancias e mamão para a prevenção do câncer desse órgão. Repare que o tomate não é indicado para quem tem tendência a ter pedras nos rins. Deve então preferir outros alimentos que contenham o licopeno.

O suco de uva e o vinho, moderadamente, assim como o azeite de oliva virgem, devem ser alimentos cotidianos do espartano. Aliás eram alimentos comuns na Grécia e em Roma antigas.

Muitas frutas, muitas verduras e poucas carnes e, quase nunca, carne vermelha.

Suplementos alimentares ficam a critério do seu médico.

Entretanto não se precisa ficar fanático. Uma vez ou outra pode-se consumir alimentos que nao sejam os ideais nessa dieta espartana que aqui é esboçada.

Outra coisa que se deve compreender é que os empresários capitalistas não estão preocupados com a saúde de quem come o que eles vendem. Criam sabores e cores atrativas em alimentos fáceis de fazer e consumir pouco se importando com o resultado no corpo de quem come. O espartano é muito preocupado em não fazer papel de otário. Por isso ele é desconfiadíssimo com empressários e o capitalismo que ele sabe ser uma sociedade inumana só intessada em lucros.

Daí ele procurar comer o que ele cria, isto é, o que ele sabe que lhe fará bem. Resistindo ao canto das sereias de lanchonetes e restaurantes que na realidade o querem prejudicar o fazendo de otário.

 

Uma receita simples. O sanduiche do espartano. Um pão da sua escolha. Tomate bem vermelho, cenoura crua ralada ou em tiras, folhas de alface bem lavadas (opcional), claras de ovo (opcional) óregano, azeitonas sem caroço e azeite de oliva. Acompanha um suco de uva integral e sem agrotóxicos.