Capa do livro escrito pelo professor Ricardo Liper

Para a nossa sociedade, sexo entre homens é o maior tabu masculino.

Entretanto qual a verdade sobre esse tipo de erotismo ?

O que ocorre é que o homem nasce indeterminado sexualmente porque não tem estro e possui um grande desenvolvimento do córtex cerebral que o dota de raciocínio e imaginação.

Diante desta indeterminação erótica as camadas dominantes da sociedade tiveram de programar o erotismo de todos para a reprodução acelerada da espécie.

O nascimento de muitas crianças (com pais que as criem) é que gera a mão-de-obra de reserva necessária para acumulação do capital. Por isso as elites sociais tiveram de reprimir o desperdício do sêmen em atividades eróticas não-reprodutivas.

O destino de pai-de-família teve de ser imposto. Surgiram assim os tabus sexuais a que estamos acostumados. Este livro é sobre a organização que as sociedades fizeram do erotismo para administrar a reprodução humana e o que teve de ser reprimido para isso.

 

Sejam quais forem seus hábitos sexuais dificilmente você será o mesmo depois de ler esse livro.

Em um tom, a princípio, de confidência, o autor vai fazer você compreender um dos maiores tabus da nossa sociedade: o sexo entre homens.

Vai mostrar como as sociedades encararam de formas diferentes o hábito que homens têm de fazer sexo entre si.

Até a influência dos hebreus e do cristianismo, isto é, antes da Idade Média, a tradição dos guerreiros era achar natural o sexo entre eles. Ocorreu com os espartanos, ramanos, samurais e muitos outros. Foi a cultura judaico-cristã que influenciou a nossa sociedade e proibiu esse tipo de hábito erótico masculino.

O autor

Ricardo Líper é pesquisador, há mais de 20 anos, do gênero masculino e do sexo entre homens.